WHITE SUMMER, S/t (1976)

Uma raridade renascida das cinzas!

Oriundos de Benton Harbor (Michigan, USA), os White Summer foram uma banda formada em 1973 por um trio de jovens de 18 anos, que tinham algo em comum: o “amor” pelos sons que Jimi Hendrix, Cream e Grand Funk Railroad, entre outros, faziam.

Devido às suas impressionantes apresentações ao vivo, a banda depressa se transformou numa das principais formações de Rock, não só na sua terra natal, mas também na Florida, para onde se mudaram no final dos anos 70.

O álbum de estreia da banda (também conhecido, por entre os fãs e coleccionadores por “White Album“, pelo seu artwork minimalista) seria lançado em 1976 e ficou para a história do Rock com um dos mais raros e brilhantes trabalhos da época.

White Summer” abre com uma suave “Without A Sound“, que nos faz uma agradável introdução para deste trabalho especialmente marcado pela sua diversidade sonora.

Na segunda faixa, “BMF“, somos surpreendidos por tons sonoros de funk… protagonizando, com base no lirismo, uma brilhante sátira.

Aos primeiros acordes de “Misty Morning“, a terceira faixa, apercebemo-nos logo do “sotaque” solista dos riffs pesados da guitarra, para depois sermos novamente surpreendidos com um magnífico instrumental, recheado de experimentalismos e layers sonoras, que vão desde um ritmo latino ao jazz, na faixa “Sail”.

Segue-se “The Tank“, outro longo instrumental que, como a faixa anterior, passa por vários momentos, alguns deles de um psicadélico bem ácido.

Riding High“, a sexta faixa, é, sem dúvida, um dos melhores temas deste trabalho! Da letra, ao enorme riff final! É uma faixa “Easy Rider”! Soa a Liberdade!

All The Good Things” e “For Your Smile” entoam um pouco do espírito hippie!

A penúltima, “Laught When I Die“, chega como uma enorme “lambada” sonora! Uma introdução arrastada, da qual surge depois um riff pesado a roçar o “Doomesco”, de fazer arrepiar cada pêlo que se tem no corpo. A interpretação vocal é aqui, no mínimo, soberba!

O álbum termina com uma épica faixa (de nove minutos) de um excelente rock progressivo intitulada “Omega“.

Os White Summer eram excelentes executantes de um Hard Rock Progressivo, o qual pincelavam de nuances psicotrópicas!
Demonstraram extrema qualidade, sendo o seu ponto mais forte as assombrosas composições de guitarra!

Resta dizer que este trabalho foi recentemente “reanimado” pela Outside Records (Guerssen), que, mesmo sem as master tapes originais conseguiu, através da tecnologia, recuperá-lo e reeditar em vinil, pela primeira vez desde 1976, esta autêntica raridade, fazendo-a assim renascer das cinzas.
Bem haja!!

GUERSSEN Facebook